10 de abril de 2008

Porque fiquei nervoso, George?



Na educação que recebi dos meus pais, fui treinado a prestar atenção a detalhes específicos, ao mesmo tempo em que fui informado de que a maioria das pessoas não prestaria a mesma atenção aos mesmos detalhes. Isso é "coisa de árabe". Eu não sou descendente de um Sírio e de uma Libanesa, eu descendo de pessoas que acreditam/acreditavam que houve/há uma "diáspora político-religiosa", que impediu/impede o povo árabe de constituir uma nação una e laica. Então, George, quando você diz que "ELES" são loucos, eu entendo "NÓS" somos loucos. Porque sou brasileiro, amo este país, mas também me considero árabe, Sírio, sei lá. Então, quando eu sinto que a mídia, que sempre foi tendenciosa (leia-se pró EUA e seus aliados) sobre questões do oriente médio, consegue a façanha de fazer uma pessoa inteligente como você achar um absurdo o que a China faz com o Tibet (o que eu também acho) mas também achar "mais aceitável" o que se fez com o Iraque, (porque "eles são loucos" ou porque "Saddam atacou os Curdos"), eu perco as estribeiras, não deveria, você tem o direito de achar o que quiser, mas tem hora que várias coisas da minha vida se juntam a essas coisas da minha formação "especialista", e o caldo entorna e não deveria entornar. Por isso, publicado no meu Blog, eu assumo que errei e te peço desculpas, acho que a nossa amizade é mais importante que essas coisas, porque ela está aqui e podemos controlá-la, e não em uma realidade distante de nossa capacidade de ação.

Um comentário:

George disse...

Babel, eu não acho "mais aceitável" o que se fez com o Iraque. Aliás, acho que não é nem um pouco aceitável, só não concordei que o país estaria em paz, que tudo estaria bem sem a invasão (e ainda acho que a invasão só piorou). O problema é que você não me deixou falar...
Uma coisa que eu acho em você é que você tende a enxergar as coisas como bom/mal, 0/1, preto/branco. O fato de eu achar que os EUA não são o demônio que você pinta, não significa que eu ache que eles são santos (loooooonge disso).

Mas desencana, como você disse, nossa amizade é mesmo mais importante que essas coisas, não gosto de você apenas por ser marido da Rejane (vide Edson), mas por você ser você e acho que discussão faz parte da amizade também oras... (só tenta ficar mais calminho, por favor - porque se alguém levanta a voz comigo, eu tenho a tendência de levantar também a aí já viu).

Um grande abraço,
George (o próprio!!)